Episódio 004 – Aquele com a roupa de baixo favorita

Saudações, jovens mileniados!

Nesse episódio nossos jovens companheiros de aventura, Marina, JOM, Felipe e Daniel, debatem sobre o lingerie day.

O Lingerie Day é um evento machista? Ou é empoderador? Gordinha também pode? Cueca é lingerie? Qual sua cor de ceroula favorita?

Tire sua roupa, prepare sua selfie e baixe nosso podcast enquanto entope seu twitter!

Download

Alta qualidade – 96kbps – 46,8MB

Média qualidade – 64kbps – 31,2MB

Baixa qualidade – 32kbps – 15,8MB

Zip – 96kbps – 46,7MB

Assine nossos feeds

No milênio passado nós pediríamos para sintonizar corretamente. Hoje, nós pedimos que assine nosso feed!

Então escolham seu agregador favorito e dê play logo nesse episódio.

Músicas

Contatos

Quer falar conosco? Mandar críticas? Sugestões? Bater papo?

  • Gharcia

    Olá Milenial Casters!

    Vcs estão com um ritmo muito bom. Continuidade, vírgulas, réplicas e tréplicas. Muito bom de ouvir a discussão.

    Sobre o episódio: As gerações atuais tem outra relação com a imagem. E outra com a privacidade. Snapchat surgiu e viralizou justamente pra isso. As pessoas querem ser vistas. Antes: notadas.

    Likes são uma forma de quantificar a sua notoriedade. Foto de biquinho, 300 likes. Foto de biquíni, 500 likes. Pra quem quer notoriedade, basta atender os pedidos da audiência.

    Qto ao julgo da mulher, basta lembrar que, até hoje, é difícil pra uma delas tomar um sorvete na rua.
    Sério: um número X de mulheres não consegue comprar um picolé e andar sozinha se refrescando com uma sobremesa gelada num dia de calor.

    Ótima discussão. Parabéns pelo tema.
    Que tal um episódio sobre dados de saúde? Como vcs, Millenials, lidam com a saúde nessa época?

    Abraços e Sucesso!

    • Marina Ribeiro

      olá Gharcia!
      Sim, nós mulheres enfrentamos cada uma… Estes dias mesmo eu esperando uma amiga na cabine de ônibus com umas sacolas, uma pessoa iniciou a cv perguntando se eu iria pegar onibus (estava dentro da estaçãozinha), ainda perguntou se eu queria q ele voltasse comigo para ajudar.
      Acho que a geração de 00’s pra frente quer ser famosa a todo custo… Ai acaba gerando tais eventos.

      Sobre a ideia de tema…
      Vc está acessando nossas planilhas de pauta?
      EStamos elaborando esta pauta sim 🙂
      Por favor continue comentando e dando ideia de pauta. São sempre bem vindas 🙂

      • Gharcia

        Bom. Acho meio cretino tudo isso, mas, creio que está mudando aos poucos.

        E, sim, sou o h4ck3r e Vidente, com ascendente sem dente…
        Brinks. Apenas achei uma boa ideia e aguardo ansioso esse episódio. Na vdd sobre outros temas tb. (^_^)/

  • Marcelo De Matos

    BOA SORTE FACERS

    Então gente ouvi ontem no carro, mais um episodio excelente.

    Eu tinha um milhão de coisas pra comentar, mas esqueci!

    ps: VUDU REVERSO ACEITA SEU APELIDO!

    • Marina Ribeiro

      Aquele famoso: não vou anotar aqui, mas depois eu lembro…

  • Miguel Nakajima Marques

    Gente, que ep massa!
    Acho que a minha TL do Twitter é muito de boa pq esse Lingerie Day passou batido. Nem sabia que esse dia existia e muito menos sobre a origem do mesmo.
    Um fato que concordo e que foi comentado brevemente no episódio foi o fato de que a encheção de saco normalmente vem de pessoas que:
    1) Não tem nada a ver com o movimento
    2) Não pesquisou sobre as motivações reais do movimento e formou opinião baseando-se somente naquela mensagem de Whats ou num post de Face.
    3) “Só quer o seu bem”
    Alguns exemplos desse tipo de pessoas são: aquela tia que só encontramos no aniversário da nossa vó, o colega de trabalho que lê portais de fake news e aquela senhora da aula de Pilates.

    • Marina Ribeiro

      Olá Miguel !
      Que bom que curtiu o episódio! Colocamos muito amor e carinho nele 🙂
      Então! acho q tá ‘decaindo’ a popularidade do Lingerie Day… mas ainda tem seus adeptos.
      O Complicado maior nessa história do povo q nao sabe o que é e fala é o odio destilado atoa :p Ou perseguição, ou ainda assédio!
      Todos eles sao bem barras, mas se a pessoa encara isso? Gogogogo postar fotos ano que vem 😉
      Obrigadaço pelo comentário, por favor continue

  • Diego

    Com a criação dessa ‘horda’ de snap[apps] as pessoas postam cada vez mais questões da vida íntima. Seria até pouco se fossem apenas fotos de loungerie, as pessoas mostram cada vez mais seus hábitos, familiares, pessoas próximas e tudo mais. Atualmente aquela preocupação com a segurança está cada vez menor e os crimes por ameaças (falsos sequestros ou algo assim) estão cada vez maiores.

    Além disso, a questão de empoderamento, valorização do corpo e tudo mais é muito válida, mas é isso que a pessoa realmente quer ? Ela está preparada para os comentários ? A pessoa realmente acreita naquilo ou é somente o calor do momento? Aproveitando uma coisa que o John falou “A menina pode postar falando que é feia para alguém falar que é bonita (adaptação)”, mas e se nínguem falar? Ela está preparada para isso?

    A minha preocupação é maior com a segurança das informações e o que podem fazer com elas.

    Segue uma questão, qual o critério que vocês usam antes de postar uma foto? Pense só se cada foto que você posta na internet fosse colocada em um datashow onde você trabalha, ou na sala de uma festa no aniversário da sua avó.

    Para os mileniados, vocês sentiam vergonha quando chegava alguém na sua casa e sua mãe abria seu album de fotos? Agora está tudo aí, livre para quem quiser ver (Crianças muito novas com instagram),

    • Marina Ribeiro

      Que comentário sensacional 🙂 Adorei!
      É bem isso mesmo Diego. Quisemos levantar estas questões de debate e questionamentos de até onde a pessoa esta preparada a sua exposição.
      Eu disse que: ” Cada um pode fazer o que quiser, mas tem q aguentar as consequências” e é bem isso… A menina quer se sentir bonita postando uma foto, mas e se não?
      Abre-se a possibilidade pra julgamento, ‘vc’ expoe uma foto e espera a critica, o problema que não tem como medir onde/qual vai ser o retorno.